Enquanto eles crescem...

Meigo, delicado, doce,
De sorriso desdentado.
Preguiçoso? Como poucos.
Ah! Não queiram vê-lo zangado…

Pressa não é com ele.
Estudar rima com “mais logo”.
Se quiserem que se apresse,
Transformem todo num jogo.

Um jardim para cuidar?
Tarefa para o António.
E podem contar com ele
Para organizar um pandemónio.

Perderam? Ele encontra,
Nem que esteja no fim do mundo.
Na cozinha é um “chef”,
À mesa um poço sem fundo.

Aos Pais, aos Professores
A paciência põe à prova
Mas haverá alguém
Que este menino não comova?



Escrito para o Livro de Finalistas do 1º Ciclo. Que é como quem diz 4ª classe.

7 Comments:

  1. Rita said...
    Isto não é mesmo como tudo. :) muito bonito!
    Princesa Tagarela said...
    ...enquanto eles crescem...nós observamos enternecidos e estarrecidos!!

    ;))
    PKB said...
    =))
    JS said...
    Eu andava preocupada com a sua ausência,mas agora está tudo explicado! Esses versos deram trabalho...mas estão fabulosos!

    Um abraço*
    as velas ardem ate ao fim said...
    Amoroso!

    bjinho
    Nani said...
    Realmente não há quem ele não comova!!! :D
    Um beijo enorme para um dos loirinhos mais lindo e ternurentos que já conheci!!!
    Pretazeta said...
    O pai babado já comovido!!

Post a Comment



Mensagem mais recente Mensagem antiga Página inicial

Blogger Template by Blogcrowds